Combate à hanseníase

Combate à hanseníase

Campanha Janeiro Roxo esclarece sobre doença

Considerada uma das doenças mais antigas da humanidade, a hanseníase ainda é um problema de saúde nos dias atuais. Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), perto de 30 mil casos são registrados por ano no Brasil, o segundo país com maior incidência, atrás apenas da Índia. Cerca de 2 mil casos são em crianças e adolescentes. A boa notícia é que hanseníase tem cura.

– A Hanseníase é doença que tem cura em todos os casos. Mas, se diagnosticada e tratada de forma tardia, alguma sequela pós tratamento pode permanecer – explica Egon Luiz Rodrigues Daxbacher, coordenador do Departamento de Hanseníase da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

A doença é causada por uma bactéria (Mycobacterium leprae) e transmitida por meio de gotículas que saem do nariz ou através da saliva. Os primeiros sinais da hanseníase são manchas claras, róseas ou avermelhadas no corpo, que ficam dormentes e sem sensibilidade ao calor, frio ou toque. Podem aparecer placas, caroços e/ou inchaços. Aparece com maior frequência na pele, mas pode afetar os nervos.

Para reforçar o combate à doença, difundir informações e desfazer o preconceito, a SBD e a Sociedade Brasileira de Hansenologia (SBH) promovem campanha e ações educativas em janeiro (Janeiro Roxo), sendo o último domingo do mês o Dia Nacional de Combate e Prevenção da Hanseníase.

Confira alguns esclarecimentos do dermatologista Egon Daxbacher ao Quem Coruja:

Quem Coruja – A hanseníase é hereditária?
Dr. Daxbacher – Não. Hanseníase é uma doença infecciosa causada por uma bactéria. Existe a possibilidade de a defesa contra a doença, geneticamente definida, ser deficiente nos membros de uma mesma família. Mas não quer dizer que as pessoas somente adoecem se forem familiares. O risco é maior por conviver de maneira próxima e prolongada como convivente domiciliar.

Quem Coruja – Mulheres que já tiveram a doença podem engravidar?
Dr. Daxbacher – Sim. Podem engravidar normalmente. Apenas alguns casos que tenham tido uma complicação chamada reação hanseníase e estejam em uso de um remédio chamado talidomida não podem engravidar de forma alguma usando a medicação.

Quem Coruja – Os sintomas são os mesmos entre crianças, adolescentes e adultos? A doença se manifesta da mesma maneira em qualquer idade ou há uma faixa etária de maior risco?
Dr. Daxbacher – Em qualquer faixa etária pode acontecer o desenvolvimento da doença. Em crianças, por terem menos probabilidade de ter a doença muito tempo, na sua maioria, possuem formas mais brandas. Porém, indicam que a fonte transmissora provavelmente está mais próxima. Sendo assim, uma criança menor de 15 anos com Hanseníase, deve-se buscar os familiares e cuidadores para tentar identificar algum adulto próximo doente.

Quem Coruja – A hanseníase sempre tem cura?
Dr. Daxbacher – A Hanseníase é doença que tem cura em todos os casos. Mas, se diagnosticada é tratada de forma tardia, alguma sequela pós tratamento pode permanecer.

Comentar

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *