Crianças e mentiras

Crianças e mentiras

Por volta dos dois anos, os pequenos já têm capacidade de mentir

Todas as crianças possuem capacidade de mentir, ou seja, são capazes de inventar coisas, já por volta dos dois anos de idade, afirma a psicóloga Nhatash Liliath Fonseca, especialista em psicopatologia e psicodiagnóstico infantil. Por volta dos três anos, em geral, trata-se de pura fantasia, e a partir dos quatro anos, usam a imaginação para explicar situações embaraçosas. Segundo ela, crianças com menos de cinco anos de idade podem fantasiar ao se expressar e, com isso, parecer que estão mentindo.

– A imaginação faz parte do desenvolvimento normal da criança e com o passar dos anos vai se dando lugar para o real. Essa capacidade de mentir pode melhorar por volta dos seis anos, exceto no caso de crianças que têm alguma deficiência cognitiva – explica.

De acordo com a psicóloga, existem várias situações que podem levar a criança a mentir. Segundo estudos recentes, a mentira é um comportamento aprendido na infância e repetido com o intuito de escapar de uma punição ou de obter alguma recompensa.

– Muitas vezes elas mentem por medo de punição, outras vezes para fugir de suas responsabilidades. Mas também mentem para se sentir importante, por culpa, para conseguir o que desejam ou até mesmo por curiosidade. Além disso, os pais servem como modelo para os pequenos, que aprendem observando o comportamento deles e isso inclui as mentiras – alerta.

A psicóloga recomenda que ao identificarem uma mentira, os pais devem buscar saber os motivos que levaram a ela e, com isso, orientar a criança a falar a verdade.

– Melhor forma de ensinar os pequenos a não mentir é ser um bom exemplo, não pedir para o filho mentir para tirar alguma vantagem, mostrar que a mentira traz consequências. A criança deve sentir que ao contar a verdade terá a admiração dos pais. A melhor forma é orientar e nunca usar de métodos de punição, pois a criança vai mentir para evitá-los. Existem outros caminhos como o do reconhecimento, do respeito, do amor e da firmeza, mas nunca da punição – orienta.

É importante também não confundir mentira com fantasia, que é importante para o desenvolvimento.

– Os pais podem orientar, contando histórias e explicando o que é faz de conta e o que é realidade. Com o tempo, a criança vai começar a identificar o que é real e o que é imaginário. Entrar na fantasia e a partir dela mostrar a realidade para a criança é o melhor caminho. É respeitar a imaginação da criança para conduzi-la à realidade. Se com todos os esforços dos pais para modificar o comportamento da criança de mentir não funcionar procure ajuda de um profissional.

1 Comente aqui

  • by Rebeca Postado em 28/07/2017 16:54

    Excelente matéria! Os pais cada vez mais precisam de orientação para melhor atender seus filhos.

Comentar

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *