Roda solidária

Roda solidária

Projeto Roda de Brinquedo quer levar presentes a 7.500 crianças

O empresário Alessandro Mendes cresceu vendo muitos exemplos de solidariedade em casa. Essa formação talvez explique o fato de ele hoje coordenar uma rede de voluntários que transformam o Natal de muitas crianças. Pelo quarto ano consecutivo, Alessandro promove o Roda de Brinquedo, projeto de arrecadação de brinquedos novos que são doados a crianças de algumas instituições e comunidades.

– Na nossa casa, sempre tivemos a cultura de ajudar o próximo. Todo fim de ano, minha mãe adotava uma criança e dava presentes. Isso ficou no nosso DNA – diz Alessandro.

Se a formação pessoal favoreceu o voluntariado, o lado profissional e a rede de relacionamentos de Alessandro, que trabalha com Marketing, contribuiu muito para o desenvolvimento do projeto. Em 2014, a ideia era arrecadar brinquedos que pudessem ser distribuídos para cerca de 20 crianças atendidas no Hospital Pró Criança Cardíaca, no Rio de Janeiro. Hoje, a meta é presentear 7.500 crianças em 16 cidades do país.

– A ideia surgiu em 2014, quando fui entregar doações de alimentos no Pró Cardíaco, arrecadados em um campeonato escolar. Sabia que comida era importante, mas com os brinquedos teríamos a oportunidade de interagir diretamente com as crianças. Fiz o pedido no Facebook para o Natal. Minha ideia era conseguir pelo menos dois brinquedos para cada uma das crianças do hospital. Mas como dou aula de empreendedorismo e tenho muitos contatos no Facebook, em poucas horas consegui muito mais brinquedos do que o necessário. Presenteamos quase 1.500 crianças. Aí o lado empresarial falou mais forte, criei um site para o Roda de Brinquedo e passamos a divulgar o projeto e a arrecadar os brinquedos – conta Alessandro.

O Roda de Brinquedo também não demorou a ganhar adeptos em outros estados, e hoje está presente em São Paulo, Minas Gerais, Pernambuco, Maranhão e Rio Grande do Sul.

– No segundo ano, nossa meta era presentear, pelo menos, 2.500 crianças. Uma amiga em São Paulo queria mandar brinquedos. Então, eu a estimulei a fazer lá. Hoje, estamos em 16 cidades. É como se fosse uma franquia social – explica o empresário.

As doações podem ser feitas em vários endereços nas cidades participantes (veja os pontos de arrecadação). O projeto também aceita doações em dinheiro, que é usado para a compra de brinquedos, mas apenas feitas pelo site do Roda de Brinquedo. Outras doações importantes são de sacolas de presentes e material para os embrulhos. A arrecadação termina no dia 15 deste mês, e a distribuição dos brinquedos acontecem do dia 18 ao dia 22. Pela primeira vez, Alessandro está preocupado de não conseguir atingir a meta.

– Sempre tive muita facilidade para arrecadar os brinquedos. Mas agora estou com receio, por conta da crise no Rio de Janeiro. Não sinto isso nos outros estados, mas por aqui ainda estamos com poucas doações – diz Alessandro.

A situação preocupa mas não desmotiva o empresário, que se emociona com a alegria das crianças tanto quanto com o envolvimento dos adultos:

– O maior ganho com o projeto é ver a força do ser humano em se engajar. Ver a capacidade das pessoas em ajudar. Vejo o lado da criança, feliz desembrulhando e vivenciando a magia de ganhar um presente, e vejo o lado do adulto, feliz por proporcionar aquele sorriso.

Foto em destaque : Divulgação/Roda de Brinquedo 

Comentar

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *