Adaptação escolar

Adaptação escolar

É importante respeitar o tempo e passar confiança às crianças  

Fim de férias, hora de reencontrar amigos, chegar com material novo na escola, retomar o ritmo das aulas. Para muito alunos, será apenas mais um ano de estudo. Mas para aqueles que trocam de colégio (ou de turma) e, principalmente, para os pequenininhos que estão indo pela primeira vez para a escola, trata-se de um período importante de adaptação. E para que esta adaptação aconteça de forma positiva é imprescindível que a família esteja confiante no processo.

– A questão da adaptação varia de escola para escola e de acordo com a faixa etária do aluno. Conforme a criança vai crescendo, o tempo necessário para adaptação vai diminuindo. Mas o que se espera da escola? Espera-se que ofereça horário alternativo para crianças menores. É importante respeitar o tempo da criança e o da família, tendo um local para os pais aguardarem, por exemplo. Espera-se que a escola tenha um planejamento adequado para cada faixa etária. E que o professor esteja ali observando a necessidade de cada criança e de cada família. Professor e escola precisam dar acolhimento à família que está insegura, ansiosa, mostrando que a segurança dos pais é determinante para a segurança que a criança vai sentir na escola. Os pais precisam confiar na escolha que fizeram. Toda mudança gera medo, ansiedade, e isso é normal. É uma fase, vai passar – afirma a pedagoga Andréa Rodrigues.

O papel da escola é muito importante. Mas o resultado não depende apenas disso. A própria escolha dos pais pela instituição de ensino faz diferença. É preciso saber que tipo de educação escolar se deseja para o filho antes de matriculá-lo em um colégio.

– Há várias questões que devem ser consideradas na escolha da escola. Algumas são questões gerais, como localização, e outras muito específicas de cada família, como tamanho da escola e metodologia de ensino. Acho importante ficar atento ao que você considera qualidade de ensino e ir atrás de uma escola que atenda a maior parte das suas necessidades – orienta Andréa.

A também pedagoga Michelle de Mattos Moreira está vivenciado o outro lado da adaptação, como mãe de Pietro, 3 anos. O menino, que já frequentava creche desde 1 ano e meio, começa este ano no maternal de um colégio tradicional.

– Levamos em consideração a tradição da escola, os resultados no Enem, sempre entre os melhores colégios, e a estrutura pedagógica que nos foi apresentada. As expectativas são as melhores possíveis. Mas confesso que ainda estou com receio de tudo. Ele é muito novinho, terá uma outra rotina totalmente diferente do sistema creche. Mas não tenho dúvidas de que ele se adaptará muito bem. Crianças são mais flexíveis, e ele é muito esperto – avalia Michelle.

Como pais, o mais importante é manter a tranquilidade (e isso foi ouvido por mim na reunião da escola dos meus filhos). Meu caçula começa este ano na alfabetização e em uma turminha com mais coleguinhas novos do que conhecidos. Sim, será uma nova adaptação, mesmo na escola em que ele estuda há três anos.

– O período de adaptação é muito importante, é quando se estabelece o vínculo com o professor, de afeto, de confiança. E isso tem que ser de forma verdadeira, fazendo com que a criança se sinta segura no ambiente escolar – destaca Andréa Rodrigues.

Algumas dicas para um bom resultado na adaptação:

– Não engane a criança dizendo coisas como “vou ali e já volto”. Fale a verdade, explique que você vai precisar ir embora da escola, que ela vai ficar com amiguinhos e professores, e que mais tarde você (ou outra pessoa) volta para buscá-la.

– Escolha a escola de acordo com sua filosofia de vida, com o tipo de ensino que espera para seu filho. Assim, terá mais confiança no processo e passará esta segurança para a criança.

– Converse com o professor se tiver qualquer dúvida ou preocupação.

– Tenha em mente que a adaptação é uma fase, e passa. Tranquilidade e confiança são fundamentais neste processo.

Comentar

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *