Quando as contrações chegam

Quando as contrações chegam

As contrações provocam dilatação do colo e “empurram” o bebê 

Divulgação/Daiana Freitas

Divulgação/Daiana Freitas

Intensas e ritmadas. Assim são as contrações que indicam que é hora de o bebê nascer. Algumas mulheres não chegam a sentir as fortes dores deste que é um dos sinais de trabalho de parto, mas se elas são sentidas está chegando o momento de dar à luz.

– O ideal é que os bebês nasçam no período entre 37 e 42 semanas e, quando aparecem contrações ritmadas e dolorosas nesta fase, isso normalmente significa que o nascimento vem aí. Quando isso acontece antes do ideal, chamamos de trabalho de parto prematuro e, dependendo do tempo de gravidez e das condições do feto e da gestante, o obstetra vai determinar se é melhor interromper as contrações usando medicações ou se faz o parto – explica Bruno Alencar, coordenador médico da linha obstétrica da Casa de Saúde São José, no Rio de Janeiro.

As contrações acontecem, justamente, para que o bebê saia da barriga da mamãe.

– O útero é um órgão formado em grande parte por tecido muscular. A contração uterina é a atividade deste músculo, que tem por objetivo provocar a dilatação do colo uterino e “empurrar” o feto pelo canal de parto. Para provocar a dilatação, no entanto, as contrações precisam ser intensas e ritmadas, o que normalmente apenas ocorre no período entre 37 e 42 semanas de gravidez – diz Bruno Alencar.

E, para que o parto seja normal, as contrações são indispensáveis.

– Para um parto normal é necessário sim que a paciente entre em trabalho de parto, com contrações ritmadas. Eventualmente, quando elas não aparecem espontaneamente, o obstetra pode, caso necessário, induzir o aparecimento das contrações com diferentes tipos de medicação – afirma.

Quem já esteve ou está grávida, provavelmente sentiu o útero ficar mais duro em alguns momentos. Pode se tratar, sim, de uma contração, mas sem relação com o nascimento do bebê.

– Durante toda a gravidez, principalmente na segunda metade, a gestante consegue observar episódios em que o útero fica mais duro, sinalizando uma contração. Porém, nesta fase, elas costumam ser esporádicas e indolores. São as chamadas contrações de Braxton-Hicks e elas não representam nenhum risco à gravidez – esclarece o médico.

Bruno Alencar lembra também que alguns fatores externos podem provocar contrações:

– Atividade física intensa ou fora do padrão que a gestante está habituada ou mesmo um episódio agudo de stress podem sim desencadear contrações uterinas, assim como um orgasmo.

 

Comentar

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *