Momentos para si depois de ter filho

Momentos para si depois de ter filho

Flávia Massara conta sobre a retomada do olhar para si mesma 

Flávia e Helena. Foto: Arquivo pessoal

Flávia e Helena. Foto: Arquivo pessoal

“Helena está com sete meses, quase oito e, até bem pouco tempo atrás, minha dedicação era praticamente exclusiva a ela, tirando as necessidades básicas. Quando, enfim, ela adormecia à noite – porque de dia ela nunca foi de dormir -, eu já estava morta de cansaço, dando o fígado por um banho e depois cama. O marido chegava tarde do trabalho e eu passava o dia todo por conta dela. Normal. São fases e a gente espera isso quando tem um bebê.

Mas, recentemente, com toda a adaptação à minha nova rotina em casa e com a mudança de rotina profissional também do meu marido, comecei a ter alguns momentos pra mim e voltei a fazer aulas de flamenco. É minha grande paixão!
Fiz aulas de flamenco por quase quatro anos. Mas por causa de trabalho e mudanças de BH para o Rio e depois para São Paulo, entre muitos retornos e desistências, fiquei cinco anos longe do tablado. Agora, resolvi voltar e espero que pra valer. Eu sempre acho que é pra valer e sempre é, mas espero não ter que interromper o aprendizado desta vez. E esta vez é muito especial, justamente por não ser só a retomada de uma atividade física e pela qual sou apaixonada, como também a retomada de um pouco do meu olhar pra mim mesma, de algumas horinhas semanais só pra mim, sem filha, sem marido, sem trabalho, só para a Flávia. E como eu senti falta disso!

Veja bem, eu amo minha filha e amo meu marido. Mas um tempo só pra gente é fundamental E saudável! É o meu momento de me mexer, de olhar no espelho e olhar pra dentro, de esquecer que tenho que dar banho, dar comida, trocar a fralda, brincar, botar pra dormir. É a hora do cuidado comigo.

Engraçado é que estou voltando a fazer uma atividade num momento da vida em que muitos, inclusive eu, achavam ser impossível. Se não pude dar continuidade antes, como faria agora pra estudar e dançar flamenco com um bebê? Pois é… Quando a gente realmente quer e gosta de alguma coisa, arruma-se tempo. E só lembrando que eu também tenho, além de muita vontade, um companheiro que divide comigo os cuidados com a Helena, dentro das possibilidades da nossa rotina, pra que eu tenha esse tempo pra mim. E veja bem, ele divide, não ajuda. São coisas completamente diferentes. Claro, porque sem ninguém pra dividir as responsabilidades e cuidados com um filho, fica inviável de verdade. Eu conheço algumas mães solo e sei o quanto é pesado, mas este é outro assunto.

É uma opção minha e do meu marido não ter babá e, como moramos em outra cidade, não podemos contar com uma ajuda esporádica das vovós. Então, somos só nós dois e a Helena. E tudo bem! Os ponteiros se ajustam. No meio disso tudo, o flamenco pra mim é essencial. É quando eu descarrego tudo pelos pés e, ao mesmo tempo, recarrego as energias tão importantes pra voltar pra minha vida real, aquela lá descabelada, sem unhas feitas, sem sono contínuo à noite, aquela vida de chamego com a minha Helena e o meu Rodrigo. Sim, porque até pra chamegar é preciso ter a cabeça e os pés no lugar. Assim, fica mais fácil pra mim e garanto que pra eles também”.

Flávia Massara é blogueira e mãe da pequena Helena.

Para participar, mande seu texto para marta@quemcoruja.com.br ou fadua@quemcoruja.com.br. Sua história pode ajudar e inspirar muita gente.

Comentar

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *