Varizes na gravidez

Varizes na gravidez

A gestação pode fazer surgir varizes e piorar as já existentes

Enjoos, estrias, inchaço. É muito comum associar tudo isso à gravidez. Mas já pensou em varizes? Sim, elas também costumam aparecer durante a gestação.

– Existem duas situações que podem ocorrer com a gravidez. A primeira são as pacientes que já tinham varizes antes da gestação, e que podem apresentar uma piora em relação à quantidade de veias doentes, em relação ao aumento do seu calibre e também dos sintomas associados. Isso ocorre por conta dos hormônios da gravidez, que têm a função inicial de reter líquidos para criar um ambiente ideal ao crescimento e desenvolvimento do bebê. Ocorre ainda uma compressão natural das veias da pelve, causada pelo crescimento do feto, o que dificulta ainda mais o retorno venoso, principalmente no último trimestre. A segunda situação são aquelas pacientes que já possuem uma tendência genética ao desenvolvimento de varizes, e que a gestação funciona como um dos principais fatores de risco para o início desse processo. É muito importante durante o pré natal seguir um controle adequado do peso corporal e da manutenção de atividades físicas, de forma a tentar conter o máximo possível o desenvolvimento da doença – explica Leonardo Almeida, cirurgião vascular da Clínica Inovas.

Dificilmente as varizes desaparecem ao fim da gestação. Isso pode até acontecer, dependendo do volume e localização dos vasos no caso da primeira gravidez. Mas, geralmente, o que é visto é um alívio dos sintomas relacionados às varizes, sem a regressão das veias já doentes.

– Algumas veias que ficam mais desenvolvidas, mas não são doentes, podem se tornar mais discretas com final da gestação, já que a quantidade de liquido corporal diminui e a compressão dos vasos pélvicos deixa de existir – diz o médico.

Leonardo Almeida lembra ainda que alguns cuidados, sempre seguindo as orientações do obstetra, podem ajudar a prevenir problema:

– Para aquelas pacientes que já praticavam atividades físicas regulares antes de engravidar é importante mantê-las durante a gestação, principalmente aquelas que trabalhem a musculatura das pernas. O uso frequente de meias elásticas, que ajudam a tornar a circulação venosa mais eficaz, também é uma importante medida no controle do edema e dos sintomas relacionados. Porém, apesar de todos esses cuidados, algumas gestantes irão desenvolver varizes. No entanto, sua extensão será menor, assim como os sintomas, se as medidas citadas forem empregadas.

Também cirurgião vascular da Clínica Inovas, Fernando Faria lembra que tratamentos estéticos devem ser evitados durante a gestação.

– O tratamento cirúrgico, por exemplo, não é feito, salvo em raríssimas hipóteses. Os tratamentos ambulatoriais apresentam algumas restrições. A escleroterapia química tradicional (aplicação) deve ser evitada para a maioria das substâncias utilizadas por desconhecimento do seu efeito sobre o feto, no entanto pode-se utilizar substâncias que são inertes como a glicose hipertônica. A técnica que utiliza o laser transdérmico não tem contraindicação uma vez que o mesmo é apenas um feixe de luz. Na maioria dos casos, entretanto, o tratamento durante o período gestacional é contraindicado, pois temos conhecimento que as varizes vão piorar no período e podemos tratar sem necessidade. É mais razoável aguardar o pós-parto para iniciar ou reiniciar o tratamento.

Para mulheres que fazem algum tipo de tratamento estético e engravidam, o ideal é aguardar de dois a três meses depois do parto para avaliar a retomada do tratamento.

Comentar

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *